O QUE É REAL?






















O que é real? Essa pergunta é feita ao Neo e agora é feita a você... Somos acostumados a acreditar em verdades impostas pela sociedade desde que nascemos, o conceito de certo e errado, o que é e o que não é, tudo que somos é fruto de uma imposição, somos controlados por um sistema, e por isso somos levados a acreditar em tudo, não vamos atras das verdades por comodismo,vivemos na caverna de Platão, por medo de sermos condenados como Sócrates


quinta-feira, 29 de abril de 2010

Desaparecer

Eu não faço parte do mundo da perfeição
Eu não tenho a inocência de Alice lá daquele país
Eu não quero que mude meu coração
Eu quero ser assim, como sou, feliz e infeliz

É difícil entender o Ser, quanto mais tem, mais ele quer
É difícil fazer você entender, que não faço parte dos seus brinquedos
É difícil você enchergar que você tem virtudes que não tenho
É difícil fazer com que entenda que há virtudes que não quero ter

Existem pessoas que não quero ser
Existem momentos que não quero passar
Existem dias que desejo desaparecer
Existem coisas que não quero falar

Portanto

Eu não faço parte do mundo da Perfeição
É difícil fazer você entender que não faço parte dos seus brinquedos
E que Existem dias que desejo desaparecer, só desaparece...

Dani Oliveira

1 comentários:

Edmilson R. da Silva disse...

No mundo que rejeito existe paz
no meu, guerra
No mundo que não quero reina a fome.
no meu, corrupção
No mundo das pessoas que renego reina o livre abrítrio.
No meu, condicionantes.
Naqueles mundos ideais vividos como em sonhos tudo é perfeito.
No meu, tudo é assimétrico.
E ainda existem aquelas pessoas que dormem a noite inteira.
Aquelas que sonham...
Há também algumas excessões que jamais conseguem deixar de se indignar.
Também não quero fazer parte dos inúteis brinquedos deste mundo.

Postar um comentário

AQUI VOCÊ É LIVRE

Aqui você está livre para dizer o que pensa sobre essa liberdade que disponibilizaram para nós, meros mortais; Fique a vontade para se expressar... Utilize os comentários para novas critícas se assim quiser